sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Os Filhos de Enock

No final da década de 1970, fui convidado para assistir uma peça teatral de Robert Patrick; “ Os Filhos de Kennedy”, que fez muito sucesso no Rio de Janeiro, por falar de uma geração decepcionada por ter seus sonhos interrompidos. A peça constituída de 7 monólogos, falava de onde estava os personagens e o que estavam fazendo, quando do assassinato do presidente John Kennedy em Dallas no Texas – E.U.A, durante um desfile em carro aberto. Foi um acontecimento, que marcou minha geração. Outro fato marcante, foi a morte de um dos maiores profetas do século 20, o pastor que teve um sonho, Martim Luther king Junior. Foi tão importante, que minha mãe, uma crente batista pernambucana, não conseguiu se esquecer do que fazia, quando ouviu a noticia no radio. A noticia em si e o local onde se tomou conhecimento dela, ficaram associados para sempre em sua mente, mesmo depois de varias décadas passadas. Não me lembro de meus pais conversando sobre a morte de Getulio Vargas ou do pastor Davi Gomes e sua Escola Bíblica do Ar. Mais, na minha geração, viraram lugar comum descrições de onde se estava quando se ouviu pela primeira vez o clássico do Som Maior. De lá para cá, as mortes que causaram orfandade no meio evangélico e principalmente pentecostal, foi a dos pastores Paulo Leivas Macalão e em segundo plano na Região dos Lagos após 40 anos de ministério ininterrupto de Enoque Alberto Silva, que começou sua vida espiritual na Igreja Batista em Alagoas e trocou a navalha de barbeiro pela espada cortante da Palavra de Deus no Rio de Janeiro, percorrendo as areias escaldantes da região do sol e do sal, para estabelecer o trabalho pentecostal de maneira pioneira ao lado se sua fiel companheira Ilka Silva. Para muitos, o sisudo pastor Enoque não teve filhos biológicos, porem, para aqueles que atenderam o chamado no Mestre Jesus, sabe que ele foi o pai espiritual de multidões, e que não dobrou seus joelhos diante de mamon , morrendo pobre e deixando como herança para mulher apenas uma casa simples, um Carro Voyage velho e cerca de 17 mil filhos espalhados em 105 templos pentencostais. Como um verdadeiro homem de Deus, ao longo de 40 anos, desenvolveu em toda região um abençoado e profícuo ministério , onde simplicidade, paixão pelas almas perdidas e com compromisso com a verdade bíblica se fizeram presentes durante sua vida e como legado na vida dos filhos de Enoque. Baruch Há Shem!

Um comentário:

Porta latas Cabo Frio disse...

Pastor Sergio, sou sobrinho do falecido pastor Enoch, estou fazendo um face in memorian em seu nome e gostaria de publicar esse artigo nele, tudo bem? se tiver mais alguma coisa a respeito dele por favor pode postar lá tambem.ok?